quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Dias libertam, liberdade genérica.

Há tempos venho querendo gravar algo dessa moça que só vê amor quando une nossos mapas astrais. 
Figura que só, menina-mulher-muleca é a Patrícia Gonçalves que tem dois blogs, o Jujubas do Thomaz e da Anita, seus filhos espertíssimos pelos quais sou apaixonado e o dela, Dias genéricos, onde posta "poesia, vida, lembranças" e de onde tirei o texto de hoje "Liberta".

ouça:

22 comentários:

Maria Rita disse...

Só quem já passou pela "alforria que liberta" sabe que ela é tão necessária quanto dolorida. Eu sei!

Sempre maravilhoso!

Beijos pra ti moço

Luna Sanchez disse...

Como precisamos de gestos assim, de coragem, desprendimento, generosidade com nossa própria história, com o passado e com o futuro, sempre ali, pedindo uma chance.

Adoro isso aqui, adoro! =)

Beijo grandão pra ti, guri.

ℓυηα

António Rosa disse...

Saulo,

Belo poema e muito bem dito.

Também aprecio muito o trabalho da patrícia nos seus dois blogues.

Beijo amigo

António

Patrícia Gonçalves disse...

Puta que pariu!!!! Ficou lindo!!!!

Você leu lindo, perfeito!!!!

Vamos lá, primeiro quero dar os parabéns pela cara nova do blog. Adorei!!! Estou tanto tanto sem sair por aí, que nem tinha visto! Ficou ótimo, jovem, dinâmico, uma prosposta super legal!

Segundo, é um prazer, honra ser lida por ti, mais ainda, ser compreendida. Quando escrevemos, obviamente, buscamos o eco no outro, mas em você obtive mais que eco, obtive companheirismo, descoberta de uma amizade recheada de afinidades, incentivo e apoio, mesmo distante, em vários momentos.


Aqui deixo e faço minha declaração de amor a você!

Moço, lindo, com a voz e alma de ouro, Obrigada!!!!!

beijo grande!!!

carmen silvia presotto disse...

Genial, parabéns pela escolha deste poema de Patrícia, Saulo Querido... ele é seda, janela aberta que nos captura.

Um beijo e seguimos!!!

Cristiane disse...

Que beleza! Antes de acordar, libertar tudo aquilo que nos prende! Aliás, nada deveria nos prender, pois somos vivos de luz! Bjs. Lindo dia nublado! :)

Pérola Anjos disse...

Belíssimo o poema da Patrícia, eu já conhecia, mas na tua voz tudo ganha uma vida extra, uma roupa de festa.

Beijos, Saulo querido!

Hummm... Cheirinho de casa nova. :)

Universo Paralelo em Versos disse...

Ouvi este texto olhando a natureza dançando ao som do vento, e ganhou assim o texto algo incrível, veio a mim a imagem do ultimo filme de Bette Davis "Baleias de Agosto" quando ela penteia o cabelo numa forma tão intensa que se sente o tempo, e foi isso que aconteceu através da voz do Saulo o som da tua voz ficou registrado como uma fotografia para ser lembrada com toda intensidade no álbum do coração. O que seria do mundo sem arte? trabalho magnífico de ambas as partes. Virei neste teu espaço com certeza ouvir mais vezes LIBERTA.

Sandra Botelho disse...

Aplausos para o poema, a poetisa e o declamante.
bjos achocolatados

Michele P. disse...

Saulo

A Patrícia é fora de série, uma poetisa/escritora de mão cheia.Já conhecia o texto dela, embora não tenha conseguido ouvir a sua declamação aqui (estou sem fone de ouvido e as visitas bloguísticas estão sendo feitas na calada da noite! rs)

Um grande abraço,
Michele

Ira Buscacio disse...

Saulo, meu queridão,

Nem vou ficar mais comentando sua interpretação, pq vou cair na mesmice, pq adoro, adoro, adoro!

Gostei dessa menina e vou conhecer seus blogs, com certeza.
Não é fácil nos darmos essa liberdade, mas só ela que nos salva.

Bjsssssssss grandes

RAFAEL disse...

belo poema...bela narrativa...ja acostumei a vir ouvi-lo...rs.

abração.

Lua Nova disse...

É pura covardia!!!! Assim já é demais...
Patrícia escreve como ninguém! Um texto dela declamado por vc, meu Deus, que lindo!
Parabéns pros dois.
Saulo, cê tá arrasando...
Beijokas.

Universo Paralelo em Versos disse...

Olá Saulo Tem selinho DARDOS p'ra você, este selo viaja o mundo veio de Portugal e indiquei você!

Paulo Francisco disse...

Nossa! texto lindo...

TH disse...

Momento de redenção libertária total da moça.

Cristiane disse...

Saulo, tem um selinho lá no meu blog pra você. Espero que goste! Boa semana. Bjsss

Inside Me disse...

hummm, q voz ^^ adorei o texto, bjs

Paulo Francisco disse...

O poema é seu!

Ira Buscacio disse...

Saulo, lindão

Passando pra te desejar paz e deixar um beijo grande.

Athila Goyaz disse...

Bela narrativa!
Abraços!

Marcio Nicolau disse...

tua voz é aveludada, é seda. E tenho muito orgulho de você por essa delicadeza.