quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Pequena 'lona' Âmbar


Esse texto é de uma menina que sigo há um tempinho... Quando li os poemas dela fiquei louco! Esse é o primeiro que interpreto, mas virão outros.

O texto escolhido de hoje é o "Lona" da poeta Anna K. Lacerda, do Pequena Cidade: ÂMBAR  que faz um belíssimo trabalho. Sua poesia é leve, firme, por vezes densa, outras erótica, sensual, feminina..., inteligente!

Ah, vale ressaltar que houve até "pedidos". Isso mesmo!, a Carmen Silvia, do Vidráguas, há poucos dias me enviou um e-mail com o link da página da Anna e eu já com o texto escolhido e tudo (hehe). É Anna..., é só o humilde começo de uma longa estrada juntos. (hehe) Já gravados tenho mais dois que ficarão pro futuro.

Beijos. Boa semana.

Saulo.

23 comentários:

António Rosa disse...

Saulo,

Identifico-me com a Anna: ... estou mais para escafandrista.»

Muito bem 'dito' por ti.

Boa semana.

Angelo Augusto Paula do Nascimento disse...

Realmente: sublime e firme.
Abração

Carmen Silvia disse...

Genial, a Poesia de Anna é intensa, contagiante e perfeita em tua interpretação.

Saulo Querido, obrigada pelo pedido atendido e que venham mais versos desta Pequena Cidade Âmbar.

Beijos.

Ira Buscacio disse...

Saulo,

Muito bom o poema de Anna e é tão delicioso ouví-lo interpretar essas boas escolhas que faz.
Marcando presença no teu palco, sempre

Bjocas

Rodrigo Teixeira disse...

ótima dica!

abs

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Saulo
Muito bom. Parabéns pela divulgação.
Bjux

Luna Sanchez disse...

Gostei da ironia elegante do texto!

Por falar em circo, hoje eu seria uma motoqueira maluca do Globo da Morte...rá!

Rs

Beijo, Saulo! Ótima quarta pra ti!

ℓυηα

Valdeir Almeida disse...

Saulo,

Boa escolha. Gostei da, embora sua interpretação dê ainda mais beleza a ela.

Abração.

Pérola Anjos disse...

Conheci o espaço da Anna visitando os seus indicados ao selo de ouro e fiquei encantada com a sua poesia!

E a sua voz faz mais belo o belo, digamos assim, um belo². :)

Beijo doce!

Marcio Nicolau disse...

A lona poética de Anna cobre, conforta. Tua voz dá a cor: âmbar.

Joyce Kelly disse...

Saulo, querido, que voz é essa? (risos) Os poemas declamados por você tornam-se ainda mais belos. Parabéns!
Beijos e ótima quinta-feira para você!

Anna K. Lacerda disse...

Foi como se sussurrasse em meus ouvidos numa madrugada fria, tão quente aqueceu meu ♥ de alegria e convencimento. Feliz!
Feliz pelos caminhos sonoros da poesia!

Obrigada.

Beijo de sol.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

texto cheio de certezas que pedem para morrer na contradição

Patrícia Gonçalves disse...

Lindo poema!!!Sua interpretação é única!

Moço, preciso de ajuda, sempre gostei de ler meus poemas, até pensei em gravar, mas ficava tímida. No entanto, o senhor com sua experiência está me dando uma vontade louca de tentar. Mas, a experiência não deu certo!!! A gravação não entra, dá erro!!! Help me!!!

beijo grande!

Marcio Nicolau disse...

me dói o coração quando você diz, durante a leitura, "desculpa"! rs Ou seja: você é mesmo convincente.

Parabéns, mais uma vez pelo trabalho aqui.

Athila Goyaz disse...

Maravilhoso poema, sua voz é um charme à parte. Abraços e bom fds!

Carol Morais disse...

Saulo,
me derreti com essa voz e com esse poema lindo de viver.
Eu me peguei pensando nessa vida como um circo e eu nessa corda-bamba maluca.
Que bonita a narração. Parab;ens pela bela voz.

Um beijo

Carol Morais disse...

Saulo,
te linkei l'a no desmondier, pode seR?
Beijo

Marcio Nicolau disse...

Tem gente até se derretendo... rs Um charme à parte a tua voz, disseram...

:)

Lila disse...

Obrigada pela visita, mocinho.

Bjs meus !

Vampira Dea disse...

Gostei muito desse blog, espaço claro de muitas idéias, com certeza voltarei.

Universo Paralelo em Versos disse...

wow.....mais que mais..... super bacana.....genial.

Anna K. Lacerda disse...

E cá estou a te-me ouvir nessa madrugada. Feliz por ter sua voz em meus ouvidos não permitindo que eu durma! E a lucidez da poesia nos brinda!

Beijos querido.