sábado, 31 de julho de 2010

Revelações do tempo meu.

Tenho pensado muito sobre o tempo. Tô fazendo uma força enorme pra me separar do Cronos e me permitir o meu tempo interno, individual. É preciso reconhecer o agora.

"Tempo Pra Tudo


Fernanda Porto

Tudo neste mundo tem seu tempo
Cada coisa tem sua ocasião
Há tempo de nascer e tempo de morrer
Tempo de plantar e tempo de arrancar

Tempo de matar e tempo de curar
Tempo de derrubar e tempo de construir
Há tempo de ficar triste e tempo de se alegrar
Tempo de chorar e tempo de dançar

Tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las
Tempo de abraçar e tempo de afastar
Tempo de procurar e tempo de perder
Tempo de economizar e tempo de disperdiçar
Tempo de ficar calado e tempo de falar

Tudo é ilusão
É tudo como correr atrás do tempo

Pessoas nascem, pessoas morrerm
Mas o mundo continua sempre o mesmo
O sol continua a nascer e a se pôr
e volta a seu lugar para começar tudo outra vez
O vento sopra para o sul, depois para o norte
Dá voltas e mais voltas e acaba no mesmo lugar
Todos os rios correm para o mar, porém o mar não fica cheio
A água volta para onde nascem outra vez
O que foi feito antes será feito novamente
Não há nada de novo neste mundo"

Hoje ouvi essa música da Fernanda Porto. Tô nesse momento, de entender que há tempo para tudo. A gente precisa saber a hora de se retirar pra ressurgir como uma fênix. O tempo é isso, como a fênix. Morre e renasce. Brilha, forte, do fogo, que destrói, mas à fenix constrói, cria, surge.
Tô no que chamam de "inferno astral". Completarei 28 anos e sinto que um ciclo se encerra. Logo, um novo se inicia, não se inicia, eu me reinicio com ele, com o agora - a todo instante.
Sigo adiante, confiante.

22 comentários:

carmen silvia presotto disse...

É, querido Saulo, só não há tempo para o não vivido, por isso que venham logo os 28 anos, para desenrolar as brumas da ilusão... circularIdades... porque sabemos:" nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia, tudo passa, tudo sempre passará", por isso criemos.

Um beijo e que prossigam as revelações!!!

Augusto Barros disse...

O tempo, o tempo, o tempo... Realmente há Cronos por aqui. Talvez o ciclo inicia-se todos os dias, mas nem nos damos conta disso. Talvez já estamos extremamente acostumados a lidar com o tempo e novos ciclos, mas em alguns momentos temos os momentos de fraquezas. Talvez o tempo seja bom ou ruim. Talvez esteja do nosso lado ou não. Ainda não sei, sinceramente. Confesso ter medo de descobrir.

Marcio Nicolau disse...

Saulo, Augusto, Carmen

"Tempo, tempo, tempo, tempo, és um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho", diz o Caetano. Aconselho você, Saulo, a encarar o tempo como eu encaro: de maneira contemplativa. É lindo ver o tempo passar! O plantio, os frutos, a colheita... Ervas daninhas, pragas que a gente arranca pra evitar que destruam a plantação... Tristezas e alegrias que vamos deixando pelo caminho, mortes, lágrimas, renascimentos, ciclos... É tudo tão bonito "como a cara do meu filho, tempo, tempo, tempo, tempo..."
Já passou o tempo enquanto penso, escrevo. O tempo nos rodeia, abraça apertado, nos redesenha as escolhas e respondemos ao tempo, seguimos. Até o fim do tempo. E não perca seu tempo ouvindo as bogagens que digo... rs
Um beijo.

Marcio Nicolau disse...

Não conhecia essa música, à propósito. Quero ouvir depois.

Patrícia Gonçalves disse...

Saulo, todo dia é renascer, não acredito em inferno astral apesar de adorar astrologia.
Linda música, adoro falar e ler sobre o tempo. Moço, aprendi depois de muita dor que o tempo é sempre o agora. Ok, o futuro existe pra se traçar planos, mas viver é no agora. E, você aprendeu certo, há tempo pra tudo e pra tudo há seu tempo!

beijo grande!

Lua Nova disse...

Bem, antes de completar seus 28 anos, termine tudo que possa ser terminado sem postergar. Tudo que está parado, deixado de lado, esperando pra ser resolvido, resolva. Termine tudo que puder ser terminado antes do seu aniversário. Pra isso serve o tempo, pra ser usado e abusado no presente, no hoje, no agora. Renasça depois do seu aniversário com novas idéias, novos planos, novas possibilidades. O tempo só existe hoje e, em nossa visão tridimensional, o amanhã é um talvez, e o ontem só lembrança, estagnados e fora de alcance.
Sua reflexão é importante, relevante e fundamental para que a vida se torne mais intensa.
Uma semana perfeita pra vc.
Beijos.

Márcio Vandré disse...

O tempo é injusto.
Leva o que há de belo.
Bicho astuto.
De repente, aquele ramalhete de flores sincero se deixa obliterar pela presença do porvir.
Depois, o nada.
E o silêncio.

Patrícia Gonçalves disse...

Passando pra dizer Oi e pra agradecer todos os comentários, dizer que você já tem lugar cativo no peito e nem te conheço, na verdade, você e o Márcio.

Beijo grande!

Ricardo Fabião disse...

Saulo,
não havia estado aqui antes...
E olha como há mundo além do meu; assim recortado por um tempo diferente; um sol que cai em outro oeste...

Aqui manterei acampado meu olhar, e deixarei ao mais aberto que ele possa, ao mais longe que ele saiba e não saiba; que experimente pois e me guie.

Um breve silêncio deixo; semente de novos olhares e palavras.

Abraço.
Ricardo

Lua Nova disse...

Oieee...por onde vc anda?

Patrícia Gonçalves disse...

Helloooouuuuooo??? Tô com saudades e você foi ainda falar de algemas lá no meu blog, isso é maldade e não se faz, rsrsr (repara não, tô com Marte forte no mapa)

Tomara que o silêncio seja sinômino de muita coisa boa, vida, trabalho, namoro!!!

Beijo grande!!!

Marcio Nicolau disse...

Todo mundo sentindo tua falta!
Quer fazer o favor de dar o ar da tua graça?!

Thomaz disse...

uma lambida de vaca manero! vou poder te ver quando?

quero conhecer meus seguidores.

Marcio Nicolau disse...

Thomaz é o máximo! rs

Saulo Taveira disse...

Carmen, bela lembrança da música. De fato. Obrigado pela presença sempre tão empolgante.
Beijo.

Saulo Taveira disse...

Augusto, o medo do tempo só vale se não o aproveitar da melhor maneira que encontrar. O tempo é tudo, bom e mau, a nosso favor e contra. Cronos devora os filhos, mas é o próprio pai - deu a vida.
Abraços.

Saulo Taveira disse...

Marcio, as bobagens que diz são tão fortes e profundas pra mim. Mas você tem razão, vou começar a marcar meu tempo pelas estações do ano, qdo vir, chegou a primavera, depois o verão e o ano vai passando.
Um beijo.

Saulo Taveira disse...

Patrícia, nem do futuro pra traçar planos tô querendo saber, decido hoje pra coisas de amanhã, mas se não rolar, legal tbm, tenho que me desamarrar, libertar-me. Quanto a ter um lugar cativo, fico contentíssimo, você já é uma amiga - mesmo que, ainda e sabe-se lá até quando, virtual e as crianças, meus sobrinhos KKKK. Sim, me apropriei de vocês.
Beijo com muito carinho nos três.

Saulo Taveira disse...

Lua Nova, primeiro: tenho loucura pela LUA, não há uma noite que eu caminhe pela rua e não olhe pro céu à sua busca.
Segundo: você está coberta de razão, usar e abusar do tempo. Engraçado, comentei com o Marcio sobre este recado que você me deixou, 11 dias antes do meu aniversário, pensei: parar 11 dias tudo? só observar?, resolver?, não me movimentar? Saiba que os 11 dias voaram e a vida cuidou pra que eu resolvesse muitas coisas e só começasse a me reorganizar após o aniversário mesmo. Curioso como as coisas se configuram.
Obrigado pela presença tão carinhosa.
Beijos.

Saulo Taveira disse...

Obrigado pelas palavras Vandré.
"... presença do porvir.
Depois o nada."

Isso é profundo. Chega de futuro, pode ser nada mesmo. Vivamos o agora e gozemos.
Abraços.

Saulo Taveira disse...

Ricardo, seja bem vindo. Obrigado por manter aberto o olhar, livre e atento. Que o experimentar nos guie, a ti e a mim, sempre.
Abraço.

Saulo Taveira disse...

Menino Thomaz, poderá me ver quando quiser, estou sempre pelo Rio. Sou um seguidor teu, um fã e já te tenho grande carinho e apreço.
Obrigado pelo muito que já me ensina e me faz gargalhar, olhar pra mim ainda como um menino, através de ti, perceber coisas e pessoas de minha infância, como meus irmãos, pais.
Beijo grande, rapaz.