quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Catarse, não leiam.

Definitivamente, não foi escrevendo que pensei abrir 2011.

Depois de muitas conversas, debates, questionamentos... a palavra de ordem é: TRANSFORMAÇÃO.
Hoje estou com um aperto no peito. Soube de coisas nada agradáveis de Nova Friburgo, cenas que a gente só imagina em filmes de fim do mundo, "sinal dos tempos" - como dizem uns "queridinhos".

Não há como passar ileso. Tão perto. Tô há 40 minutos de Friburgo e todos aqui estão estarrecidos.
Pensei muito e essa tragédia não é para os que lá estão, é pra nós, ainda sobreviventes.

Em Friburgo não houve distinção a água que limpa é a mesma que destrói e leva "conquistas" de uma vida inteira num piscar de olhos, com força inimaginável. Não há terremoto, maremoto, furacão; bastou a chuva. Veio do céu a destrição. E Deus nem queria isso. Mas o homem, ah o homem. Não um homem especificamente, nós homens.

Gente, rico, pobre, bicho, político, policial, médico, professor, aluno, mendigo... muitos se foram, todos e qualquer um reviraram lixo atrás de comida,            SÃO iguais.
Barraco, comercio, mansão, casa, apartamento, nada foi poupado. O pânico se instarou de tal forma que nem pensaram que o rio não sobre serra, só queriam correr pra se salvar. O bicho quer sobreviver - sobrevivência. Num instante estou vivo, no outro sobrevivo carregando meu cadáver de toda uma vida; de repente, só cadáver.

Caralho, devastador. Homem, mulher, criança, órfãos, humanos dividindo o mesmo abrigo, agora ninguém tem porra nenhuma. Só assim somos todos iguais.

2011, janeiro, começo de novo ano, nova década, ainda início de novo milênio. Se o bicho homem não acordar, não se TRANSFORMAR, o homem será só bicho muito em breve.


A TRANSFORMAÇÃO é da consciência, do espírito. Plásticas não fazem isso, televisão oferece um desserviço, dormir é fuga, fechar os olhos não vai adiantar calar.
Eu tenho que poluir menos - até o papel da bala é pra lixeira -, consumir menos - felicidade vem de dentro, não é pílula comprada em shoppings ou drogarias.

O "serumano" só quer ter, ostentar, adquirir, conquistar. Ninguém faz mais o necessário, compra o que precisa? Tenho que rever meus próprios conceitos, antes de ser só cadáver.

Se vc leu essa porra até o fim, faz o mesmo, reveja os conceitos próprios. Mais autocrítica. Tira a venda dos olhos, abre a boca, fala o que pensa, age, melhora o que tá à volta. Acorda! Muda!

Um abraço apertado, tocando os chakras.





Imagens retiradas do site de busca Google.

36 comentários:

Carol disse...

É necessário acordar.

Maria Rita disse...

A grande verdade é...nada muda se o bicho homem não mudar!
Indignação de fato não deveria rimar com falta de ação.

Beijos moço

Paulo Francisco disse...

Eu penso que devemos, no momento, chorar e procurar pelos nossos mortos e ponto. Depois, entender o que aconteceu - Na madrugada da ´catástrofe eu estava aqui, olhando para o céu e não entendendo pq de tanta água em tão pouco tempo (era assustador).
E digo: pela quantidade de água que caiu em toda Teresópolis, considerando as áreas de risco catalogadas, podemos dizer que foi um milagre estas áreas estarem intactas.
Culpados? sim, somos todos. Não cobramos e as vezes ficamos calados diante de tantas mazelas neste nosso País.
O seu texto é interessante - um desabafo.
Nós temos, como vários exemplos no passado, que estas tragédias enchem os bolsos dos corruptos de plantão.
Já escevi demais...
O seu texto não é uma ¨porra de texto¨. Podemos, nele, substituir para vários outros lugares e ele será autêntico.
Saulo, todos os dias, descubro que algém muito próximo de mim se foi. Não são parentes, são mais que isto, muito mais... são vidas que eu tentava mostrar alguma coisa de bom, tentava dar cidadania, ética e, principalmente, auto-estima... fecho os olhos e os vejo recitando uma poesia, lendo um paragráfo inteiro de um texto sem errar. Muitos que se foram eram a minha vida... O meu objetivo de continuar na minha profissão.
Não vou usar o seu espaço para a minha catarse...
Um grande abraço!

Felipe Faverani disse...

Oi, Saulo, tudo bem?
Primeiramente eu devo lhe dar os parabéns pelo ótimo texto que escreveu. Conversei com o Athila sobre os acontecimentos no Rio, comentei com o Marcio sobre o descaso da prefeitura e do governo do estado que não fiscaliza moradias irregulares em área de risco e não se preocupa com a urbanização, com o fato de propor uma moradia digna para os cidadãos que constantemente pagam seus impostos até mesmo sem poder. Mas realmente essa é uma tragédia para que todos possam rever seus valores, repensar suas atitudes perante o meio onde vivem, repensar os seus deveres e direitos como cidadãos, como seres humanos. Eu espero imensamente que a população não só do Rio de Janeiro, mas também de qualquer lugar desse país cobre respostas e soluções para tudo isso, para que algo tão horrendo não volte a se repetir. É triste perceber que quase mil vidas precisam ser levadas para que as pessoas possam analisar os seus erros e o seu comodismo referente a eles.
Parabéns pelo texto novamente.
Abraço.

Wanderley Elian Lima disse...

Ficam sempre muito preocupados em reciclar o lixo, mas quem está precisando realmente de ser reciclado é o homem, que está virando um lixo.
Bjux

Carmen Silvia disse...

Saulo, dor humana, que nos assola, que nos desperta, que nos golpeia o estômago... onde estou em que dizes, te leio, me reviro, me repenso, e dentre todos meus tereres está o querer "serumana" e poder mais do que assistir... transformar sim, poemar mais, viver confome nossas palavras para que a retórica seja apenas uma técnica vã.. já comerei menos, já revisarei meus lixos, já ... Um beijo grande e obrigada por estar palavras de alma e tão vitais.

transformar, dar outra ar à nossa essência, porque se ao falar damos sempre a cara a tapa, isso já não basta... temos que conVersar mais e mais, mudar o ar da espécie que nos habita por amor de construção.. transformar!

Um beijo carinhoso.

Pérola Anjos disse...

A sua indignação, o seu grito de dor e de revolta é o grito de muitos, Saulo. Enquanto uns estão protegidos em suas mansões, outros se afogam no descaso, jogados ao acaso, e ainda são julgados, rotulados de pobres miseráveis, coitados.

Coitado é quem cruza os braços e assiste tudo do alto da sua TV, que só pensa em aumentar a sua audiência e pouco se importa para a chuva que inunda tudo por dentro, essa chuva não dá pra retratar.

Se a mudança não vier de dentro, da forma de olhar, nada vai mudar, muitos outros morrerão e virarão mais notícias para a outros enriquecer, este ciclo maldito.

Este é nosso mundo?


Beijos, Saulo!

Marcio Nicolau disse...

Definitivamente é re-escrevendo que abriremos 2011. Reescrevendo a nossa história. Em busca de abertura.

Dúvidas, questionamentos..., em princípio transTornam, em seguida transFormam a nossa ótica. Ordenam o pensamento em meio a desordem.

Vamos nos apertar uns aos outros junto ao peito pra passar o aperto, querido.

O tempo dá sinais. É preciso entendê-los.

Vai passar tudo isso. Mas a gente nunca passa ileso.

Que baste a chuva pra nos fazer felizes!! A simplicidade é uma conquista.

O rio não sobe a serra, você tem razão, há lógica na natureza. Devemos respeitá-la!

A Terra é nosso abrigo. E a vida aqui é estarrecedora de tão bela. Nem a morte é tão devastadora.

Sobrevivemos, mas não contentaremos com a sobrevida. A gente não quer só comida. É preciso alimentar o espírito!!

A consciência do erro alivia o peso da consciência e leva ao acerto.

É hora de passar a limpo a vida.

Muitos de nós não tem pra onde ir. Pra começar, precisam descobrir onde estão ainda.

Teu texto nos situa, Saulo. Tuas palavras nos ajudam a entender onde a nossa dor se localiza. Você nos ajuda a mapeá-la. Nos dá uma vista área, estamos aéreos mesmo, precisamos de ar.

Por trás das montanhas, pressinto, embora nublado, o céu azul se anuncia.

Athila Goyaz disse...

Pra você ver como isso pode acontecer perto da gente... Falta é estrutura e um sistema de possa prever esse tipo de tragédia. Centenas de vidas perdidas por falta de orientação... é triste e alarmante!

Ira Buscacio disse...

Me orgulho da sua coragem de falar e da postura que adota, firme e lúcida. Me orgulho de ter vc na minha história, pois cresço e aprendo, sempre!
A cada dia tento dar mais um passo ao despertar dos sentidos e sei o quanto esse processo é doloroso, mas sem ele, o que restará da minha humanidade, por isso, ainda com minha pequenez, não estanco.
Tomo tua linguagem, como minha!
Ninguém sairá ileso a todas as tragédias do mundo.
Um beijo, com todo meu carinho e respeito, Saulo, meu lindão

António Rosa disse...

Saulo, gostei do texto, em jeito de desabafo, nitidamente em com a consciência a perceber o que vai acontecendo.

Cuidemos dos vivos.

O estranho é que o fenómeno se repetiu em várias partes do mundo, com as devidas variações locais: Austrália, Europa do Leste, Brasil...

Abraço.

arKana disse...

Olá!
forte Saulo, muito forte! Já tinha saudades de vir por aqui!
beijo

Saulo Taveira disse...

Vocês leram, né? Mesmo com esse título. hehe

Saulo Taveira disse...

Carol, estou batalhando pra acordar, em todos os sentidos. Penso que precisamos todos.

Beijo grande.

Saulo Taveira disse...

É Rita, a mudança tá nas mãos dos homens. Façamos o que é preciso: ação.

Beijos.

Saulo Taveira disse...

Paulo, sinta-se em casa sempre que quiser "catarsear". É a nossa casa.

Lamento pelo que houve. Não há como definir um culpado, nem é uma situação a culpar alguém. Fato é que agora, os objetivos que permanecem vivos precisarão muito de ti.
Coragem meu amigo, o trabalho de recuperação nem começou. Que muitos de ti agora surjam e minimizem os estragos causados nas vidas dessas crianças e jovens que, talvez, nem entenderam ainda o que houve.

Abração, meu amigo.

Saulo Taveira disse...

É Felipe,

Vidas são sacrificadas e a gente só vê demagogia, falsas indignações.
Os seres se mostram, nos piores momentos.

Abração fera.

Saulo Taveira disse...

Wanderley,

o homem produz tanto lixo que está se perdendo em sua própria produção.

Abraços.

Saulo Taveira disse...

Carmen, falar é importante, poemar é imprescindível, mas agora o importante é ação. Agir por nossas vidas, pelas vidas de nossos irmãos e nossa casa, a Terra. Ponhamos em ação o amor de construção.

Beijo grande.

Saulo Taveira disse...

Preciosa Pérola,

Esse não é nosso mundo, pode ser de vários, não o nosso.

O que me chamou a atenção sobre tudo o que houve em Friburgo é a não distinção entre ricos e pobres. Espero que outros tantos pobres e ricos percebam isso. O dinheiro não compra a salvação, ter, nessas situações, só faz saber quem perdeu mais coisas, apenas coisas. As vidas, independentemente de pertences, valem muito mais e nos igualam, vida e morte - Chega por água, água também leva.

Beijos lindona.

Saulo Taveira disse...

Marcio, nada como o existir no caos pra promover a mudança.
Sim, Terra abrigo, vida bela. Tudo depende do olhar, por isso as mudanças de dentro, como relata a Pérola, mudança de olhar.

Pude fazer um texto que situa porque, embora muito parecido aos outros, já me situo melhor.

Beijões.

Saulo Taveira disse...

É Athila, falta muito, principalmente atenção ao próximo.

Abraços.

Saulo Taveira disse...

Ira, minha linda poeta.

Obrigado pelas palavras, o carinho constante, a escrita elucidativa de meu próprio sentir. A gente vê no outro também o que pertence a nós. Tua coragem é desconcertante.

Sim, ninguém sairá ileso, como nesses lugares poucos sairam. Como disse antes, o ter só serve pra computar que perdeu muita coisa. A vida é a mesma pra todos, muda apenas o viver.

Beijos.

Saulo Taveira disse...

António, o planeta está sinalizando, só não vê quem não quer.
Concordo plenamente com você, cuidemos dos vivos.

Beijos, meu amigo.

Saulo Taveira disse...

Arkana, que bom que veio.

Sim, foi muito forte o que aconteceu e mexeu com todos, de um jeito ou de outro.

Beijos.

TH disse...

2011 é o ano da transformação. Acredito e me fio mesmo nisso.
Tô muito triste com o acontecido. Nessas horas não dá mais pra pensar nisso como algo distante, um "terremoto no México", que a gente sente, fica triste mas está lá, não é capaz de nos atingir...nada disso: é do lado e a gente não está a salvo nunca...

Com muita fé (sem ser aquela das igrejas, mas um sentimento positivo interno) vamos conseguir melhorar. Tirar a viseira egoísta e olhar pra quem precisa, ao lado...

Transformemos-nos!

Diana Carla disse...

A transformação e necessaria para o desenvolvimento humano!!!

bela postagem...

tenha um lindo fim de semana.

Carol Morais disse...

Você está certíssimo. Pude ver nesse desastre o que meu pai sempre me disse: quando a gente morre, a gente não leva nada. EntÃo, para quê insistir em TER e OSTENTAR tanta coisa?
Tudo foi levado nessa tragédia. Não por um ladrão, pela Natureza. E a mesma dá sinais diários de que nÃo aguenta mais.
O que está acontecendo com o mundo? Está acontecendo conosco, primeiro. O bicho que desequilibra acadeia alimentar é o homem. Irracional.

Lou Albergaria disse...

Meu Menino Mais do Lindo!!! Quando além de tesudo sei que um homem tem essa consciência que não passamos de cadáveres travestidos de gente, aí o meu tesão aumenta em escala estratosférica!

Parabéns pelo texto!

Se é nesse tom que vai dizer "segredos" em minha orelha, já comecei a tremer e arrepiar....vai ser do caralho!!!

O ser humano por milênios se julga o dominador, o fodaço...mas basta um palito de dente e ele se fode por completo e vai dar um beijo de língua no diabo...

Que venha mais uma década! Mas que comece a transformação DENTRO de Nós; e não nos tranquemos em uma Noz confortável e bela e juntos à capela seguimos a cantar e rezar por melhores tempos idos...

Só existe O Presente, Meu Menino. E esse espaço temporal, que dura um átimo de segundo, não recebe TAO Nome à toa...pensemos nisso e Sejamos presentes em Nossa HISTÓRIA!

E possamos dar presentes que germinem essência a nós mesmos e ao Outro que também SOU EU.

TE AMO!!!!!

Beijosssss!!!!!


Lu

aluisio martins disse...

Saulo, já estás com certeza fazendo tua parte. Cobro a minha agora e levo uma dose a mais de consciência para os meus dias. Todo mundo devia ler isso. Manda pros jornais, revistas e principalmente agências de propaganda, traficantes de drogas de consumo que mentem felicidade.

João Francisco Viégas disse...

Sabe que eu tentei manter-me quase em silencio contemplativo sobre tudo isso que aconteceu.
Tive medo de me perder nas palavras mortas.
Talvez esse silenco tenha me respondido algumas coisas!

Que os proximos posts de 2011 sejam mais alegres!

Abraço!

Anna K. Lacerda disse...

Saulo querido, também pensei a respeito:

FLASH

Sempre abismada com a velocidade dos fatos em notícias de jornais
No estranhamento sob os escombros encontro a humanidade

E a cidade se ilumina sem luz

Só os feixes dos olhares
Que na madrugada tocam sinos

* bom te reencontrar, bom te ter por perto em 2011, 12, 13, 14...
Beijos no ♥!

Canteiro Pessoal disse...

Saulo, verdade!

Abraços

Priscila Cáliga

Heron disse...

Olá.

É minha primeira visita ao seu blog.

Que façamos mais pelos outros do que para nós mesmos. Mas confesso que nem todos serão assim. Uma pena.

Abraço.

"Carol docE" disse...

Nada como existir para promover o caos.
Adorei o blog.

To seguindo.
Sucesso.

Tiago do Valle disse...

Fala Saulo! Gostei do seu blog e do seu modo de pensar. Confesso que ando meio descrente de certas mudanças na sociedade... Mas sei que não é só pela guerra totalmente vencida que vale a pena lutar. Parabéns por fazer diferença naquilo que escreve.